quinta-feira, 5 de abril de 2018

Grito de Paz

Tenho sentido que me apaixonei demais pela primavera. O toque novo, de sensações que só ressurgem na época de florescimento.. Um florescimento específico. Aquele da primavera. Mas há tanto que nasce no outono! Assim como há tanto que morre na primavera... Ah!

O paradoxo da paixão (que tem me deixado atônita) é que ela deixa a percepção turva. Acabo não vivendo o outono por ter saudade da primavera. E que coisa, né? O outono tá aqui já. Não posso voltar pra primavera, no seu próprio tempo ela vai voltar. Será que eu me adapto? Será que consigo transformar a minha forma de sentir a nova estação?

Ah..

Sinto que várias coisas vão nascer. Tô até sabendo de umas safras de frutas já que vão ser fenomenais. Só não posso me deixar levar pelas mortes (não morrer demais)

Nenhum comentário:

Postar um comentário